Extensão

Extensão é o nome dado para as atividades da Universidade direcionadas ao público externo. Elas têm como objetivo compartilhar o conhecimento produzido dentro do ambiente universitário. As atividades extensionistas possuem ainda o relevante propósito de captar recursos para a Universidade, garantindo seu desenvolvimento autônomo. Na ESDI, as atividades de extensão se dividem em três categorias principais: cursos, projetos e unidades de desenvolvimento tecnológico.

Cursos

Os cursos de extensão possuem curta ou média duração (até 360 horas-aula) e visam complementar, aperfeiçoar ou especializar o conhecimento e a prática de alunos e profissionais em diferentes áreas do Design e da Arquitetura. Para alunos sem formação nessas áreas, há cursos de extensão dedicados a oferecer conhecimentos básicos, além de outros cujo foco é a aplicação do Design ou da Arquitetura em outras áreas.

Todos os cursos são oficialmente certificados pela ESDI/UERJ e oferecem contato com os ricos horizontes da instituição. Neste momento, estamos preparando o portfólio de cursos para 2017, e em breve começaremos a divulgá-lo.

Projetos

Os projetos de extensão promovem, de maneiras diversas, a troca entre a Universidade, a comunidade e outras instituições. Confira a lista abaixo para conhecer os projetos de extensão ativos neste momento:

Diagnóstico da Vila Residencial da UFRJ

Coordenação: Profa. Patricia Drach

Trata-se de um projeto em andamento desenvolvido em parceria com o Programa de Engenharia Urbana - PEU, UFRJ. Durante as últimas décadas, a Vila Residencial da UFRJ passou por intervenções urbanas. No entanto, é observado uma necessidade de melhorias, principalmente na infraestrutura local, que teve sua capacidade sobrecarregada devido ao aumento considerável do número de moradores. O foco deste projeto é realizar um diagnóstico detalhado da Vila Residencial a partir da coleta de dados da morfologia urbana (apontar as variações importantes), do levantamento do perfil social dos moradores, da mobilidade no interior da Vila Residencial, dos serviços locais entre outros, através da leitura de mapas e plantas, de entrevistas, de medições e de informações fornecidas pela Associação de Moradores da Vila Residencial – AMAVILA. Como resultado, a proposição é apresentar mapas de tendências e carências. Espera-se, portanto, desenvolver um 'retrato' da Vila Residencial que será disponibilizado para a Prefeitura Universitária e para AMAVILA possibilitando uma base mais sólida para proposições futuras principalmente de infraestrutura e legislação.

Esdi: Janelas Abertas

Coordenação: Profa. Ligia Medeiros

O projeto visa divulgar o ensino e os acontecimentos do design para a comunidade externa à ESDI. Ele foi criado no início do ano de 2001, com o objetivo de divulgar o campo do desenho industrial e a formação propiciada pela Esdi, de modo a ajudar tanto jovens interessados em ingressar na profissão a escolher adequadamente uma carreira, quanto aos alunos da instituição que buscam maior esclarecimento sobre as perspectivas que o mercado de trabalho oferece. Para tanto, vêm sendo organizadas, ao longo dos anos de existência deste projeto, atividades dirigidas a instituições do ensino médio do Rio de Janeiro, com palestras e visitas monitoradas. 

Estudos da imagem nas Redes Sociais

Coordenação: Prof. Marcos Martins

O projeto tem o objetivo de investigar os fluxos retóricos de imagens em mídias velozes. Ele estuda a forma como as imagens compartilhadas em redes sociais operam sobre o senso comum, formulando e reformulando opiniões. Os trabalhos feitos pelo projeto incluem estudos preliminares contextualizando e conceituando a presença de imagens em redes sociais.

Informativo Eletrônico Sinal

Coordenação: Profa. Ligia Medeiros

O Sinal é um Informativo eletrônico publicado semanalmente com notícias, registros, agenda interna e externa sobre fatos e temas relacionados ao design. Atualmente, estão cadastrados alunos, professores e funcionários da Escola, além de centenas de ex-alunos, orientadores pedagógicos e diretores de ensino médio, professores e estudantes de outras faculdades de desenho industrial, alunos estrangeiros que participaram do intercâmbio com a Esdi, designers e outros profissionais, que somados chegam a 6000 assinantes do boletim.

Observatório etnográfico de design e inovação social no Rio de Janeiro

Coordenação: Profa. Zoy Anastassakis

O projeto pretende criar um ambiente de observação, exposição e diálogo entre a Escola Superior de Desenho Industrial e a cidade do Rio de Janeiro, a partir da observação participante (abordagem etnográfica) de ações conceituadas e implementadas, seja pelo setor público, seja pelo setor privado ou por grupos sociais específicos, no que tange à gestão e ao desenvolvimento da própria cidade, e, mais especificamente, nas soluções tecnológicas, urbanísticas, produtivas e culturais, que busquem endereçar grandes questões sócio-culturais. Nesse sentido, em um primeiro momento, o projeto constitui-se em duas vertentes: 1) uma que observa como, na cidade do Rio de Janeiro, se constituem os processos de transformação urbana, não entendida aqui como restrita ao campo específico da arquitetura e do urbanismo, mas entendendo a urbes como espaço sócio-cultural, em que diferentes atores interagem com o meio-ambiente natural e o construído, em maior ou menor grau de interatividade. Assim, busca identificar, conhecer e dialogar com iniciativas que se direcionem para a gestão ou a transformação (via inovação) da própria cidade, vista como um todo formado por diversos sistemas, tais como o de transporte, saúde, habitação, educação, limpeza, segurança e etc. 2) busca observar, identificar e sistematizar ações, bem como dialogar, dentro do campo mais específico do design, que se orientem para o enfrentamento das questões relativas à cidade, entendida como um sistema complexo de sujeitos, entidades, espaços e práticas sociais. Nessa vertente, a ação do projeto de extensão não se restringe ao context carioca, ampliando o campo do diálogo para toda a comunidade de design, buscando identificar, dentro dela, profissionais, abordagens, metodologias e melhores práticas, que possam colaborar para os processos de gestão e inovação do espaço social urbano carioca. Essas duas vertentes se encontram em um ambiente virtual que visa gerar uma janela para o diálogo entre as questões.

Revista Arcos Design

Coordenação: Profa. Barbara Szaniecki

A Revista Arcos Design tem por meta abrir espaço para a divulgação de estudos e trabalhos científicos oriundos de diversas disciplinas, desde que sejam relevantes e priorizem o campo do Design nas suas mais diversas áreas de conhecimento. O periódico foi lançado em 1998 na versão impressa e relançado em 2009 na versão digital. Está vinculada ao PPD ESDI - Programa de Pós-Graduação em Design da ESDI. Dedica-se ao estudo dos objetos e das linguagens visuais no contexto mais amplo da sua produção e recepção. 

Unidades de Desenvolvimento Tecnológico

Incubadora de Empresas de Design Esdi/ Uerj

A Incubadora tem como objetivos oferecer infraestrutura física adequada para as atividades das empresas, ajudar com a modelagem básica de negócios e apoiar as empresas incubadas por meio de consultorias técnicas e gerenciais (que comportam áreas das mais diversas como gestão de negócios, gestão financeira, marketing, networking, etc.). Além disso, cabe a uma Incubadora coordenar palestras, seminários, e eventos de caráter gerencial que promovam o desenvolvimento da cultura empreendedora, e, no caso da Incubadora da ESDI, estabelecer parcerias com organismos de fomento ao Design e divulgar as atividades realizadas pelas empresas incubadas, pré-incubadas e associadas.
A Incubadora da ESDI foi projetada para proporcionar às firmas incubadas um espaço onde poderão não apenas desempenhar suas tarefas com eficiência, mas também um ambiente que tem por mérito potencializar a atividade criadora. No presente momento, o espaço da Incubadora comporta o acolhimento de até três empresas (com foco em Design) sendo-lhes facultada a permanência por um período de dois anos prorrogáveis por, no máximo, mais um período de um ano – findo os quais, seguramente, terão condições de enfrentar a competição dos mais duros mercados.
O objetivo da Incubadora de Empresas de Design da ESDI é proteger os primeiros passos das firmas que tenham demonstrado, mediante concurso público, potencial de gerar excelência em negócios focados no Design.

Laboratório de Biomimética

O Laboratório de Biomimética se destina a desenvolver um corpo de conhecimentos teórico/prático fundamentado na técnica biônica ou biomimetismo, com a finalidade de gerar ideias e encontrar soluções para o design, utilizando a Natureza como modelo, medida e mentora. Trata-se aqui de uma nova ciência pluri, inter ou mesmo transdisciplinar, que ao reunir, basicamente, biologia, design e engenharia levará, em breve, à descoberta de novos materiais e compósitos, novos produtos e processos de fabricação, desenvolvimento de aparelhos captadores e processadores de energias naturais, de robôs, próteses humanas  e animais, processos cirúrgicos mais simples e seguros, estruturas mais leves e eficientes, dentre outros. Todo este trabalho visa consolidar uma nova maneira de se lidar amigavelmente com o nosso Planeta Terra, evitando ao máximo a atitude predatória dominante, pois ainda é o único que temos para viver. Outra meta não menos importante do Laboratório é implantar na grade curricular da ESDI um curso regular de Biônica para a graduação e pós-graduação, uma vez existindo condições para tal.

 O Laboratório de Biomimética da ESDI, do ponto de vista conceitual, tem como principais diretrizes:

1) Abrir novos caminhos na busca de soluções para os problemas de Design em geral, trazendo as ideias da Natureza para a atividade projetual;

2) Desenvolver bases para a aplicação dos princípios de Máximo e Mínimo, sempre

presentes nas realizações da Natureza;

3) Fornecer uma melhor compreensão das relações entre: Estrutura, Crescimento, Forma, Função, Material, Cor, Sistemas e Mecanismos.

Laboratório de Prototipagem Rápida

O Laboratório de Prototipagem da ESDI está equipado com uma impressora 3D FDM, um scanner 3D de luz estruturada, uma fresa CNC Roland 650 para materiais não-metálicos, uma fresa CNC Knuth de medio porte para metais, uma corte a laser, um torno de precisão, uma máquina de conformação a vácuo e uma máquina de corte, dobra e calandragem de chapas metálicas. É neste laboratório que são desenvolvidos projetos mais avançados de prototipagem e modelagem de várias disciplinas do curso de graduação em Desenho Industrial da ESDI. O laboratório também faz estudos sobre novas técnicas de prototipagem e desenvolve seus próprios equipamentos, dentre os quais pode-se citar um acessório para transformar uma fresa CNC em uma impressora 3D FDM.

Laboratório Experimental de Design da Esdi (EsdiLab)

As atividades desenvolvidas pelo EsdiLab vão além daquelas previstas para laboratórios de pesquisa e incubadoras de empresas. Esta unidade de desenvolvimento tecnológico nasce em 2016 de uma iniciativa da nova diretoria da Esdi que buscava reunir professores e alunos de graduação e pós-graduação, além de parceiros externos, em projetos que tivessem por objetivo a inovação nas práticas de design a partir de questões fundamentais que definem a identidade da escola. Assim, EsdiLab tem por objetivo reunir ações, projetos e pesquisas que explorem e desenvolvam meios e métodos inovadores em design, arquitetura e urbanismo. A UDT abrange diversas áreas de atuação dentro dos campos do design e da arquitetura e urbanismo, em especial aquelas norteadoras dos cursos de graduação da Escola Superior de Desenho Industrial, bem como as que informam as linhas de pesquisa do PPDEsdi. Dentre as ações já em andamento, destacam-se a elaboração de novo website para a escola e os projetos Colaboratório, uma ocupação criativa da Oficina Gráfica da Escola, e Espaços Verdes, que desenvolve pesquisas sobre agricultura urbana e suas relações com o campo do design.